Blog

Quebrei a tela! E agora?

Quem nunca por um descuido espatifou a tela do celular que atire a primeira pedra. É muito comum acontecer e as assistências normalmente estão com um fluxo enorme de aparelhos com a tela quebrada para reparo.Mas quando falamos de valores, dependemos 100% do modelo do aparelho.

Cada modelo de celular tem sua particularidade e preços. A tela hoje em um smartphone é quase que 70% do aparelho, não em termos de valor, mas sim de funcionalidade, se não houver display, ou então touchscreen de nada vale a bateria funcionar, a câmera ser incrível e etc.

Deve ainda ser levado em consideração que existe mais de uma maneira de trocar a peça, mais uma vez lembrando que o modelo é a informação mais importante, mas  existem formas de fazer o reparo totalmente manual ou então com o auxílio de equipamentos, que facilitam e agilizam o processo e diminuem o risco de danos maiores.

Essas máquinas começam a surgir quando se percebe que o custo dos frontais completos é muito elevado e que o trabalho manual, além trazer riscos também custa caro.